terça-feira, 19 de maio de 2015

Um perigo a cada palavra...

     
Comecei esse texto pensando que iria saber como continuar,mas não,porque as palavras sumiram. Não importa,vou tentar me explicar sem redundância e sem exageros.
  Tudo bem,se eu não cumprir com essa promessa,vou aceitar cobranças depois. O fato é que eu me pego em tal circunstância da vida onde nem se quer um sorriso eu consigo dar se não for por educação.
  É, o tempo está passando e minha vontade de deixar tudo como está,é bem maior que meu esforço em fazer o contrário. Sei que tenho que seguir sem olhar para trás,mas acontece que ainda me lembro do último roteiro que escrevi.
   De novo estou falando de roteiros? Pois é,acabo de perceber que desapegar de uma boa história, não é tão fácil assim. Não sei onde vou parar com tudo isso ou se esperar por alguém mais 47 anos,ainda é uma prova de amor ou loucura.
   De qualquer modo,eu entendo que esses pequenos detalhes sempre são deixados de lado quando se trata de um bom clímax. Agora eu vejo que o livro que comecei a ler semana passada, tem sido uma caixa de lembranças. Talvez eu não deva mais ler o livro e comece a me importar com outras bobagens do tipo,ir ao cinema sozinha.
   Não importa o que eu for fazer,ainda assim sempre ficará aquela sensação de que eu não terminei esse capítulo. Escrever outro começo num pedaço de papel qualquer, talvez seja melhor do que correr perigo a cada palavra que me recordar o passado.
    É,e eu termino esse texto como todos os outros que postei aqui. Prometendo não ler mais romances,esquecer os roteiros e mudar meus hábitos para que eu me distraia e não precise mais sentar no sofá para ver a novela,mesmo sabendo o fim dela.

2 comentários:

  1. Texto muito lindo! Já esperando o próximo...

    ResponderExcluir
  2. Borboletas no meu estômago por causa do texto...

    ResponderExcluir